Toda empresa deve prezar pelo controle de seus recursos financeiros. Logo, conhecer o significado de Fluxo de Caixa é uma questão vital para o sucesso do empreendimento. Fluxo de Caixa tem exatamente essa função – controlar. É por meio dessa ferramenta que se estabelece uma relação entre as receitas e as despesas geradas pela empresa em determinado período.

Do ponto de vista da administração financeira, o Fluxo de Caixa é de grande auxílio para que decisões importantes sejam tomadas, assim como aquelas relacionadas ao desempenho dos investimentos e à forma com a qual os recursos da empresa são alocados.

Apenas com as menções anteriores já é possível estimar a importância do Fluxo de Caixa e a relevância de seu papel em qualquer empresa. No entanto, vejamos afundo mais algumas de suas atribuições que merecem atenção:

 

  • Gerenciamento de gastos

A análise do Fluxo de Caixa permite a identificação de gastos desnecessários, uma vez que a ferramenta aponta quais processos geram desperdício e qual recurso não é primordial para que as atividades do negócio se mantenham plenamente ativas.

 

  • Estabelecimento de controle

O Fluxo de Caixa possui os detalhes requeridos para que o departamento de contabilidade identifique prontamente a quantidade gasta com cada projeto, independentemente de seu tamanho. Para o gestor da empresa, esse é um recurso que lhe traz conhecimento sobre a quantia de dinheiro que o negócio absorve e de onde ela vem.

 

  • Segurança nas tomadas de decisão

Graças ao registro histórico das finanças da empresa, decisões relacionadas à retomada de um projeto ou ao planejamento de um projeto novo se tornam mais fáceis e práticas. Tanto as informações atuais quanto as históricas dão embasamento para que se decida pela confirmação ou pelo cancelamento de uma ideia. Tendo em mente quais foram as entradas e as saídas da empresa, o gestor se sente mais seguro para analisar a tendência de repetição de um episódio de fracasso ou de um caso de sucesso.

 

Conhecidas as vantagens do Fluxo de Caixa, conheça os itens que a compõem:

  • Inventário: Organiza as informações que serão inseridas na ferramenta. Os dados devem ser alocados entre 2 categorias diferentes – operacionais e investimentos.
  • Atualização contínua: Os dados a serem inseridos no Fluxo de Caixa devem estar primordialmente atualizados. Qualquer informação antiga ou falsa acarretará no comprometimento dos benefícios acima listados.
  • Definição de periodicidade: Os relatórios que são extraídos do Fluxo de Caixa carecem de periodicidade. Em outras palavras, cabe ao gestor da empresa decidir com qual frequência as informações devem ser extraídas para o acompanhamento de dados que o auxiliam nas tomadas de decisão.
  • Aquisição de programas: O controle do Fluxo de Caixa não precisa ser feito manualmente. Na verdade, existem programas e modelos de planilhas que se encaixam aos formatos mais distintos de negócio.
  • Time de contabilidade: Visto que os dados manipulados no Fluxo de Caixa são de cunho financeiro, a empresa deve contar com uma equipe de contadores capacitados. Igualmente, esses profissionais devem ser de alta confiança, já que terão contato com as informações financeiras mais íntimas do negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *